Style, Charles Bukowski

Aqui aproveito para republicar texto que escrevi para o blog da Pós da Cásper sobre derrubada do diploma de Jornalismo. Na verdade, eu queria mesmo era publicar Style, de Bukowski.

PS: eu tenho diploma.

Não costumo escrever em primeira pessoa do singular, digamos que obviamente considere muito pessoal. Também não aprecio a falsa modéstia de se escrever na primeira pessoa do plural. Abro uma exceção para tratar de um assunto bastante polêmico. Faz-se nececessária, pois este post traduz a minha opinião apenas, e não a do blog em si, acerca da decisão do STF em derrubar a obrigatoriedade do diploma de Jornalismo para o exercício da profissão. Apóio a decisão.

Aproveito para reproduzir parte de um texto de autoria de Wladymir Ungaretti, jornalista e professor na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, publicado no site do Brasil de Fato.

“O diploma não está ameaçado porra nenhuma. Acabou. Não é por acaso que a Rede Globo garante que continuará prestigiando as escolas de “comunicologia” e que, por outro lado, irá abrir espaço a especialistas de outras áreas. O PRBS, também, promete que vai continuar valorizando os cursinhos da perfumaria. É só uma flexibilização. A ditadura midiática ganha “ares de diversidade”. A medida não altera porra nenhuma em termos da produção das atuais ”informações ficcionais”, dos releases das assessorias de imprensa. Associar “qualidade da informação” com diploma é deboche.”

Leia a íntegra: http://www.brasildefato.com.br/v01/agencia/diploma-de-jornalismo-e-perfumaria

Quanto a um certo protesto de estudantes que decidiram comer jornais…

“A geração mais jovem está desempenhando um papel central na crise moral por que estamos atualmente passando. Penso, em especial, nos radicais entre os nossos jovens adultos, e quando digo ‘radicais’ não me refiro aqueles que a si mesmos se chamam radicais e parecem pensar que podem justificar toda e qualquer violência apelidando-a de “radical”. Muitos jovens são simplesmente pueris, não radicais.”

Erich Fromm, Do Amor à Vida

Lá vai o Bukowski ensinar algo sobre estilo:

Style – Charles Bukowski

Style is the answer to everything.
A fresh way to approach a dull or dangerous thing
To do a dull thing with style is preferable to doing a dangerous thing without it
To do a dangerous thing with style is what I call art

Bullfighting can be an art
Boxing can be an art
Loving can be an art
Opening a can of sardines can be an art

Not many have style
Not many can keep style
I have seen dogs with more style than men,
although not many dogs have style.
Cats have it with abundance.

When Hemingway put his brains to the wall with a shotgun,
that was style.
Or sometimes people give you style
Joan of Arc had style
John the Baptist
Jesus
Socrates
Caesar
García Lorca.

I have met men in jail with style.
I have met more men in jail with style than men out of jail.
Style is the difference, a way of doing, a way of being done.
Six herons standing quietly in a pool of water,
or you, naked, walking out of the bathroom without seeing me.

Charles Bukowski
Anúncios

6 comentários sobre “Style, Charles Bukowski

  1. Caroline Azevedo

    Gostei muito…ótimas citações acerca do que vc pensa, concorda e conseguiu nos mostrar facilmente.
    Concordei também com a decisão. É como dito já acima – qualidade profissional da informação com exigência (para ser bom) do diploma – é deboche. Verdade.
    Amei o texto Style!! A melhor parte é esta: “I have seen dogs with more style than men, although not many dogs have style. Cats have it with abundance.”
    Noto que ele próprio também confunde estilo com elegancia 😉

    Curtir

    1. Camila

      Eu sabia que você iria escrever que gostou, pois lembro bem que ficou feliz quando descobriu que eu era favorável ao fim da exigência do diploma, hhehe. Lembro porque fiquei feliz de você entender e concordar, haha… Deboche, deboche. É, essa parte de Style é muito boa mesmo. Adoro o final também. Todos os versos. Ah, sabia que você também iria gostar do Erich Fromm por aqui, né? Está na estante.:)

      Curtir

  2. Dayane Andrade

    Sabe que concordo totalmente com o fim da obrigatoriedade do diploma para o exercício do jornalismo, afinal um bom profissional precisa se especializar, formar-se e na qualidade de que somos todos capazes de produzir informação, acredito que o fato de se ter um diploma de jornalismo é uma forma de ser um profissional especializado em produzir informação. Assim como um administrador é especializado para conduzir uma empresa, por exemplo, mas nem por isso, um engenheiro não possa ocupar esta mesma função… Não sei se me fiz entender, mas a formação é essencial para qualquer profissional, mas a obrigatoriedade do diploma não diz se esta pessoa está apta ou não para exercer tal função… é isso…

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s