Para onde vai todo o lixo?

Em março, a população de Linköping recebeu um kit assim, deixado à porta de casa:

Era o startpaket (kit inicial) da gröna påsen, a sacola verde:

Se todos os domicílios (espero) já separavam o lixo em diversas categorias, surgiu uma nova: a dos restos de comida do prato. Tekniska Verken é a empresa de tratamento de lixo, produção de biogas e outros serviços aqui em Linköping. Foram eles que introduziram a sacola verde. Havia um livreto com instruções de como usar a sacola verde, algo bastante revelador da cultura sueca – tudo sempre certinho e com instruções, mesmo que seja um tanto óbvio e às vezes pareça retardamento.

O livreto tinha essas explicações:

O que jogar na sacola verde

“Isso você joga na sacola” / “Isso você não joga na sacola”

Como fazer o nó, que deve ser duplo (nestes momentos a Suécia me dá nos nervos)

A trajetória do lixo até se transformar em bio combustível (toda a frota de ônibus de Linköping é movida à bio combustível)

Så här går det till (“É assim”)

Como se produz o bio combustível (a planta é aqui mesmo na cidade)

A cesta cinza de plástico do startpaket é para pendurar debaixo da pia, com a sacola verde dentro. Aqui na Suécia, a maioria das pessoas mantém os sacos de lixo debaixo da pia da cozinha:

Minha sacola verde

As várias latas de plástico é para separar os diferentes materiais: latas (mas não as de cerveja, que vão para outra sacola, junto com as garrafas pet), plástico, vidro, jornais e propagandas recebidos pelo correio, lixo, lixo da sacola verde e mais o contêiner do papelão, que fica em outro canto da cozinha.

Sempre tenho que levar todas as latas até uma casinha que fica a alguns metros do prédio:

Todo o lixo será reciclado. Dá trabalho, as latas são pesadas, dá preguiça, cansa. Muitas vezes está frio demais, ou neva demais, está chovendo ou ventando. Ainda assim, essa tarefa tem de ser feita sempre. Não é nada glamouroso. Este é um ponto que deveria ficar claro. Muitas pessoas vivem comentando as glórias dos países desenvolvidos, a educação e como as coisas deveriam ser iguais no Brasil e blá blá blá bleh! Mas o que as pessoas não sabem e aposto que a maioria não estaria disposta a tal, é o trabalho que certas coisas dão no dia a dia. No caso do lixo, por exemplo, não é um conto de fadas da reciclagem, onde o lixo vai automaticamente aparecer na casinha acima em um estalar de dedos. Assim, não é todo mundo que estaria disposto a deixar o luxo de colocar a sua sacolinha de lixo à beira da porta de serviço e de ter um zelador para pegá-la, como em muitos prédios no Brasil. Sim, isso é um luxo.

Há duas salas na casinha. Uma é para os materiais recicláveis:

Sala da reciclagem

É aqui que venho com todas as latas para colocar o conteúdo nos devidos latões:

Embalagens de papel e papelão
Baterias, pilhas, lâmpadas…

Plástico
Embalagens de plástico
Jornais

Muitas pessoas colocam um pequeno aviso na porta para que o carteiro não entregue essas propagandas, mas quem não o deixa, joga aqui:

A outra sala é a do lixo “lixo”, que não dá para reciclar:

Sala do lixo

Lixo doméstico

Agora também é a sala onde se desfazer da sacola verde:

Ela é verde. Ela está com fome.

O lixo é algo onipresente, mas também tão invisível.

Fonte das imagens bonitinhas da sacola verde e do livreto: Tekniska Verket.

Anúncios

5 comentários sobre “Para onde vai todo o lixo?

  1. carolinecunha

    Quanta organização há nisso tudo. Uma casinha grande com salas separadas por tipo. Quanta ordem! As fotos foram fundamentais para entendermos bem tudo que disse. Os diversos latões, placa aqui, placa acolá…
    Bacana todas as pessoas terem recebido o kit da nova sacola em casa, com explicações e tudo mais.

    Curtir

  2. Adorei este post, adorei a organização e como as coisas chegam bem explicadas para a população. No Brasil a proibição das sacolas plásticas chegou goela abaixo das pessoas, sem essa conscientização, o que só gerou debates repletos de achismos e sem soluções reais para o dia a dia, como a coleta do lixo, que é o principal nessa história. Mto legal, mesmo sendo tudo mega explicado, até demais, segundo você… hehe… Acho q é melhor assim, Camila, na Suécia parece que tudo colabora para que as coisas deem certo. Eu mesma aqui fico tanto tempo no trânsito, ou trabalhando, que se eu quisesse fazer tudo certinho, lavar embalagens, esse tipo de coisa, eu teria que gastar uma porcentagem alta do meu pco tempo livre… Sem contar que um desafio no Brasil é que mesmo o lixo que já é reciclado é mto pco aproveitado, tirando as exceções de alumínio e papelão, por causa dos catadores, o que tbm não é um grande exemplo, na verdade…

    Curtir

    1. Nossa, Valéria, você acertou em cheio quando escreveu que na Suécia tudo colabora para que as pessoas deem certo. É isso mesmo! Eu nunca tinha resumido tão bem o que é o estado de bem estar social sueco, mas é mais ou menos isso, e uma boa dose de controle da vida da população.
      Concordo plenamente com o que escreveu sobre a proibição das sacolinhas plásticas aí. Acompanhei notícias e, principalmente, updates no facebook, uma excelente fonte de entretenimento, hehehehhe… Sério, eu senti muita vergonha alheia pelos comentários, achismos… Claro, se houvesse algum preparo, conscientização, teria sido mais fácil.
      O lixo reciclável (que é queimado em uma planta de geração de energia à qual visitei na semana passada) é responsável por 50% da eletricidade e do aquecimento de Linköping.

      Curtir

  3. Concordo plenamente que dá trabalho, mas acredito que é um trabalho muito digno de orgulho, afinal o resultado deste esforço traz muitos benefícios a toda a população. Aqui na minha casa apesar de não ter coleta seletiva já separamos o lixo e levamos em uma cooperativa de reciclagem. Também dá trabalho, mas acredito que estamos contribuindo para um bem estar mútuo do planeta.

    Curtir

    1. Não é? No final das contas, eu não em importo MESMO que dê trabalho. Mas eu só queria deixar claro, neste post, que há todo um processo. Muitas vezes as pessoas tendem a comentar direto, “ai, é país desenvolvido, que maravilha e blá blá blá…”, mas se esquecem que aqui abrimos mão de muitos confortos para ter essas vantagens. Entende a ideia que quis passar?
      Que legal que estão levando o lixo a uma cooperativa. Vale a pena. 🙂

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s