Início das novas aventuras: Belfast e o começo da road trip

Eu sei que o título está meio metido por conta de “road trip”, mas é que essa é realmente uma daquelas expressões das quais não há uma tradução à altura em Português. Viagem pelas estradas? Viagem? Viagem de carro? Então, vai “road trip” mesmo, a pequena jornada de quatro dias a rodar de carro pelas duas Irlandas.

Assim que cheguei a Dublin, peguei o carro e fui diretamente a Belfast, capital da Irlanda do Norte, passar uma noite em um hostel antes de começar a road trip:

Eu sempre quis ir para Belfast, sempre gostei de como essa palavra soa. A cidade não é tão grande, mas tem um ar de uma capital divertida, mas meio decadente. Não por menos, Belfast tem uma longa história de violência separatista e religiosa, The Troubles. Uma questão política, acima de tudo.

Eu não tirei tantas fotos de Belfast, pois as três baterias que tenho estão uma porcaria e eu não tinha adaptadores. Assim, não tenho imagens dos muros pintados com os rostos de quem morreu em conflitos, nem das redes e portões que separam os bairros protestantes dos católicos.

Peace line (muros que separam os bairros). Fonte aqui.
Portões. Fonte aqui.

Existe um filme de que eu gosto muito, chamado “Em Nome do Pai“, que se passa na década de 70, justamente nesse contexto de inquietação e bombardeios. É com o Daniel Day-Lewis, que eu adoro. A trilha é muito boa também.

Daniel Day-Lewis em “Em Nome do Pai” (“In the Name of the Father”)

As ruas de Belfast (desta vez, minhas próprias imagens):

Belfast, Irlanda do Norte

A road trip começou no dia seguinte, ao acordarmos em Belfast. Os caminhos de lá são cênicos, lindos, campestres, bucólicos, verdes. O primeiro passo é adaptar-se a dirigir do lado oposto, ao estilo inglês:

Erik tenta se adaptar.
Rides II viaja conosco.
Lindas paisagens bucólicas

Ao dirigir pelas estradinhas, você se depara com cidades fofas, igrejas, ovelhas, pubs…


No próximo post, mostro uma cidadezinha que encontramos entre Dublin e Belfast, no primeiro dia a caminho da Irlanda do Norte.

Anúncios

12 comentários sobre “Início das novas aventuras: Belfast e o começo da road trip

  1. Concordo com o uso do termo “road trip”, realmente ele diz muito mais no seu sentido lato amplo, do que numa pequena tradução em português.
    Bacana vc nos deixar à par do que já aconteceu aí na Irlanda do Norte. Gosto porque seu interesse histórico e político, que sempre teve desde criança, vem à tona, e aparece a jornalista que é.
    A sua descrição de como é passear de carro pelas estradas, passou uma imagem certa para conseguirmos vizualisar a cidade. Que lindo! Amo cenas campestres e bucólicas. Na verdade, tenho forte inclinação para até quem sabe, viver em um lugar assim. Gosto mesmo.
    Legal a foto do Erik no carro estacionando, para mostrar o lado da direção. E vc, tentou dirigir assim?
    E AMEEEEI ver que o Rides II estava dentro do carro, e diga-se de passagem; muito bem posicionado, para viver mais uma aventura ao lado dos “pais” mais aventureiros do mundo! Hahaha
    Adorei ver que começaram finalmente, os posts das novas viagens… Oba!!!!

    Curtir

    1. Eeeeeeee, heheh amei principalmente o segundo parágrafo do seu comentário. 😀 Eu sempre gostei desse tema do conflito político nas Irlandas. Olha, tentei descrever bem sucintamente, mas não faz jus à fineza que é. É muito bonito mesmo, fiquei bem surpresa com a viagem por essa região.
      Carol, será que você conseguiria viver assim, afastada? Onde iria usar os seus saltos?

      Curtir

  2. Pingback: Newcastle e Carrickfergus «

  3. Que legal! Eu sempre quis fazer uma road trip, acho o máximo =)
    Eu me interesso muito sobre esse conflito irlandês também. Eu e o David já falamos muito sobre isso porque eu queria me mudar pra Dublin mas ele não gosta da idéia porque acha perigoso por ele ser protestante.

    Curtir

  4. Pingback: Irlanda: as ruas e os pubs de Dublin I «

  5. Lou, eu acho que vai ser engraçadíssimo qdo eu conhecer o David…ele tem umas – culpa dos ciganos, perseguido em Dublin hauhauhaua mto bom!
    Camis, como você não respondeu a pergunta da Carol, eu faço mais uma vez: Vc dirigiu no outro lado do carro?
    Agora sobre a cidade, é tão bonito quando as pessoas conservam e cuidam do patrimônio, da arquitetura da cidade não é? Sinto falta disso por aqui…

    Curtir

    1. É, é bem bonito mesmo quando os prédios e as construções antigas são conservados. Mas o problema é que, por causa dos conflitos, várias coisas já foram destruídas.
      Não, eu não dirigi do outro lado, infelizmente. Minha carta de motorista não é válida na Irlanda, acho, e eu a deixei em Linköping.

      Curtir

  6. Pingback: Últimas viagens de 2012 «

  7. Pingback: Retrospectiva 2012 II «

  8. Pingback: Viagens do passado, ou, de quando as agências de viagem tinham importância |

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s