Trabalho na Inglaterra

Mudar para um  novo país traz uma boa dose de ansiedade. Eu, uma ansiosa de longa data, claro que fico bastante afetada pelos novos desafios que se impõem. O tempo, a experiência e o fato de já ter feito isso antes e de conhecer a língua ajudam bastante. Assim que cheguei em Liverpool, tive que começar do zero; isso significa que é necessário redescobrir tudo. É necessário aprender onde comprar comida, produtos de limpeza, higiene – tarefa um pouco mais difícil pois tenho alguns critérios de escolha, o primeiro sendo se é ou não testado em animais.

Há também que se descobrir a cidade, como andar nela, o funcionamento do transporte público e tudo o mais que está incluso em uma vida normal na cidade. Há também que se conseguir um emprego. Esse é um dos maiores desafios. Aqui na Inglaterra os ventos não estão muito favoráveis. Os níveis de desemprego estão altos, principalmente para a população jovem. Eu decidi buscar um emprego mais “simples”, algo em pubs, restaurantes e cafés, por ser algo temporário. Mandei muitos currículos online, mas principalmente bati de porta em porta. Não é nada agradável e dá o maior frio na barriga, mas não foi a primeira vez e provavelmente não será a última. Foi muito eficaz, pois recebi muitas ligações e fiz muitas entrevistas. Também foi eficaz ter enviado currículos para as vagas anunciadas no principal site de empregos daqui, o Reed. Recebi propostas para dar aulas e também para trabalhar atendendo ligações em sueco! Foi uma surpresa e tanto ter tido sucesso rápido e escolhas na busca de um emprego, já que como escrevi anteriormente, a situação não está fácil aqui.

Eu acabei ficando com o posto de garçonete em uma churrascaria chique aqui de Liverpool. A supervisora é brasileira e a entrevista foi bem tranquila. Comecei há três semanas já. Tive um choque na primeira semana. Na verdade, ainda estou em choque, pois o trabalho é muito duro, eu não consigo fazer quase nada mais e o salário é o mínimo pago por hora. O lado bom é que o restaurante fica a cinco minutos, literalmente, de onde moro e eu estou aprendendo a fazer mais uma coisa que pode a vir a ser útil. A maioria das pessoas que trabalham lá são brasileiras ou portuguesas, então falo bastante a língua materna com os colegas de trabalho.

A churrascaria se chama Viva Brazil e fica na Castle Street, centro de Liverpool:

Castle Street, Liverpool

Lado oposto da churrascaria
Caffé Nero, ao lado do Viva Brazil

Bonita arquitetura
Outros restaurantes
Fim da Castle Street

Eu darei mais detalhes sobre esse emprego mais para frente, quando não estiver mais lá, mas digamos que ando como um zumbi, sempre muito cansada e um pouco estressada. Não é fácil ser garçonete.

Anúncios

19 comentários sobre “Trabalho na Inglaterra

  1. Rejane Freire

    Ai Camila! Eu pedi essa vida a Deus e Ele te deu!!!:/. Hihi inveja branca d vc! 🙂 Muitas bênçãos nessa nova fase da sua vida! ( o bom é q tu muda d fase a cada 6 meses, já vai estar igual a um video game! Rsrs) kisses from Fortaleza

    Curtir

    1. Oi Rejane!

      Eu sei, eu sei que tenho tido oportunidades incríveis. Mas vocie bem que conheceu a Suécia também, né? Hehehe…
      Eu fico aqui em Liverpool até dezembro somente. Depois volto para a Suécia.
      Como estão as coisas?
      Beijos da Inglaterra!

      Curtir

  2. Ei Camis! Imagino o quão estressante deve ser o trabalho de garçonete, lidar com a paciência das pessoas na hora da fome não deve ser nada fácil. Desejo muita paciência para você e que você possa enriquecer ainda mais sua bagagem cultural e de vida nesta temporada na Inglaterra. Beijos.

    Curtir

    1. Não é nada fácil mesmo, mas muito mais pelo trabalho em si do que pelas pessoas, que são, em sua maioria, legais. A questão é que é fisicamente muito cansativo e exige também um esforço mental de lidar com muitas demandas ao mesmo tempo. Eu acho que, como boa geminiana, sempre fui boa em fazer coisas ao mesmo tempo, mas acredito que ser garçonete não está entre os meus melhores talentos. É que eu sou uma pessoa muito mais mental, né. Não sou muito boa com coisas práticas, sou muito desastrada. Retirar copos e pratos e carregar as bandejas é sempre um momento de tensão. A gente não sabe o desafio que é e o quão difícil é ser uma boa garçonete até ter um trabalho desse. Existe também a parte de cantadas, grosserias etc etc…
      Beijão!

      Curtir

  3. valhernandorena

    Camis, esse trabalho vai rendar cenas muito engraçadas ao seriado…. imagino você um pouco atrapalhada às vezes, mas conquistando o pessoal com o jeitinho e simpatia… ehhe… é praticamente um filme de sessão da tarde, né? hehe… Mas se é filme da Camis tem que ser de bom gosto, então… hehe Achei bonita a rua, é bem como imagino as ruas nesses lugares. Entrei no site do Viva Brazil e achei muito bonito e fofo o lugar, adorei! Deve ser engraçado vc no meio dessas carnes todas tbm, não pode fazer os clientes mudar de ideia, hein? hehe… Em São Paulo no dia do tradutor eu fui a um lugar de churrasco uruguaio, acho que se chama La Tranvía, algo assim, é muito bom, o ambiente é a parte mais legal 🙂

    Curtir

    1. Hehehe, de fato, se houvesse uma câmera (e há várias de segurança, hehe), renderia ótimas cenas de sessão da tarde mesmo, hehehe… Eu sou sempre atrapalhada lá, por isso a minha técnica é essa mesmo, tento ser extra simpática, extra legal, extra sorridente e extra prestativa. Dá certo, as pessoas perdoam até faca derrubada e que “picou” o braço, hehe…
      O lugar é bonito mesmo, é meio chique, mas nas sextas e sábados lota tanto que acaba ficando uma bagunça. A gente vai à loucura, querem tudo ao mesmo tempo. Pois é, eu tenho falado bastante de vegetarianismo com meus colegas churrasqueiros, hahahah, eles não entendem. Quando vai algum vegetariano lá, eu falo com a pessoa, digo que também sou e falo que vou pedir para a cozinha fazer o espeto especial vegetariano mais gostoso ainda, haha…
      Deve ser chique também esse lugar de churrasco uruguaio em SP. 🙂

      Curtir

  4. Que bonito o centro de Liverpool. Essa arquitetura antiga é muito interessante. Eu adoro isso em Oxford, você anda pela rua e é tudo lindo.
    Pois é, como falamos quando você estava aqui, ser garçonete não é fácil né. Mas é uma experiência de vida. Quem diria que a Camis iria deixar de ser a última a ir embora do bar? hahahaha
    Beeeijão

    Curtir

    1. HAHAHAH, estou curada dessa mania. Como me arrependo, coitadas das pessoas. A gente aprende tanto passando por essas experiências…
      Verdade, a arquitetura antiga deixa tudo mais lindo mesmo. Achei Oxford muito bonita.
      Beijão!

      Curtir

  5. Como sempre, a Valéria tinha que deixar um comentário sensacional rsrs. Filme da sessão da tarde em que a Camis lida com dificuldades no início, mas depois supera tudo em um final feliz. Chorei de rir!!!
    E quem diria Camis, vc garçonete. Além de mto engraçado, olha como as coisas são: vc tem aquela imagem de desastrada, e talvez se alguém te dissess que vc seria garçonete vc não iria se imaginar, e olha vc aí!!! Parabéns! Superando fraquezas
    Pode deixar que por aqui a gente reza pra vc ter clientes bem pacientes 😛 !!

    Curtir

  6. Adorei cada comentário das suas amigas! Que idéias, que formas elas têm de ver; enxergar vc, Camila… Que bacana! E concordo com todos os comentários tanto da Valéria quanto da Pammela e da Dayane, hahahaha.
    E eu entendi perfeitamente o que a Valéria quis dizer com vc de garçonete, naqueles filmes sessão da tarde da Globo, em um dia de sol de não fazer nada em casa, com aquela legenda embaixo “parte 2”, e a tradução by “Herbert Richards”, hahaha.
    Bom, não tenho muito mais para falar sobre este tema, pois estávamos no skype fofocando tudo sobre seu trabalho 🙂

    Curtir

  7. Hope you are getting better and stronger in your waitress job and though it makes you tired and might not be the most well payed job – but hey, you speak your mother tongue every day! This last fact must help you through sucky days (I hope).

    Curtir

  8. Pingback: Diversões em Liverpool «

  9. Pingback: Despedida de Liverpool «

  10. Pingback: Retrospectiva 2012 II «

  11. Pingback: Visita à Escócia: Edimburgo |

  12. Pingback: O inferno da busca por um emprego |

  13. Pingback: Breve reflexão sobre o trabalho de garçonete |

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s