Um safári de moto em meio à nevasca

Depois de um dia de esqui e comemorações de Natal, tive a oportunidade de experimentar mais uma atividade na neve: um “safári” de snöskoter (isnoiscuter), uma moto especial para a neve. O veículo é bem grande e pesado. As rodas são, na verdade, como dois esquis gigantes. Esse safári é uma das atrações do resort e custa uma fortuna.

Todos participaram do safári, e o grupo era formando não apenas pelos Hellman (e uma Azevedo), mas também por alguns casais desconhecidos. Diga-se de passagem, alguns desses só atrasaram o safári, pois caiam da moto toda hora.

Eu amo a sensação de aventura e liberdade, e motos são excelentes para isso. Eu me senti exatamente assim quando andei de moto na Índia. Em Sälen eu não dirigi a moto, fui na garupa do Erik. Abaixo, as motos de neve do nosso grupo:

DSC07976

Dá para reparar bem no tempo ruim daquele dia. Não tivemos sorte, o céu não abriu e o sol tampouco apareceu. Havia muita neve, como já contei anteriormente, e nevou mais durante todo o safári, o que aumentou o sentimento de aventura. Não dava para enxergar nada, tudo estava muito nublado. Em certo momento, tive que deixar nas mãos do divino ou do destino, pois se eu me preocupasse o tempo inteiro sobre (bem) possíveis acidentes, eu não me divertiria. Era este o nível de visibilidade:

DSC07971

As motos, como dito, são grandes e pesadas. Andar em alta velocidade em uma trilha coberta de neve faz com que você se sinta em uma batedeira, de tanto sacolejos e saltos e sustos. O corpo ficou todo doído depois, principalmente a parte interna das coxas. Deve ter sido pela pressão de tentar me manter sentada na moto. Eu quase saí voando em muitos momentos.

Assim, é importante ter um capacete, e como bons suecos, todos usaram os seus. As caretas abaixo são por causa da neve insistente batendo no rosto:

DSC07972

DSC07968

DSC07967

scooter3

Jonas, irmão do Erik

scooter4

Siddy, namorada de Jonas, corajosa guiou sozinha em uma moto

Assim fomos, em fila, tentando chegar a pelo menos 50 Km/h. Até termos que parar devido às quedas do povo mais atrás.

scooter1

scooter2

Eu e Erik à direita

Depois da metade do percurso, o instrutor diz para pararmos, pois é hora de tomar um café bem quente e comer waffles com chantilly em uma casinha no meio da brancura.

DSC07974

O lugar era aconchegante, mas era cheio de umas coisas bem nórdicas:

DSC07980

DSC07978

Peles e armamento: já esperam o fim dos tempos de tanta neve

O sáfari foi muito divertido, adorei andar velozmente “no céu”, sem ver um metro adiante. Também senti medo, claro, e quase derrubei eu e o Erik da moto, afinal ser garupa não é fácil. Foi uma pena não ter sido mais longo. Essa paradinha para o café é meio enganação, mas ao mesmo tempo, um café é sempre bom (passo as mãos na barriga).

Anúncios

5 comentários sobre “Um safári de moto em meio à nevasca

  1. Que super aventura! Deve ser mesmo uma super emocionante. Andar de moto é muito bom mesmo, sentir o vento no rosto. Mas eu não seria tão corajosa como foi a namorada do irmão do Erik, não andaria sozinha. Magina, não dava para enxergar nada! As foto ficaram ótimas, deu para ficar com frio aqui! hehehe. Super beijo.

    Curtir

    1. Pois é, o Erik falou para eu dirigir na volta, mas eu realmente não senti segurança. Eu nunca dirigi na neve e, ainda por cima, minha carteira de motorista não é válida aqui. Imagina se algo acontece?
      Beijo!

      Curtir

  2. Eu adorava essa sensação de liberdade quando tinha moto. Adorava andar na orla da praia em um dia de sol, mas não sei se hoje em dia eu ainda aproveitaria tanto.
    Achei uma graça este passeio, bem de turista mesmo (adoro!). Ri muito com você falando dos atrasos do povo, “a expert” na neve huahuah.
    Imagino como vc ficou dolorida (depois de andar de cavalo também dá essa dor na parte de dentro da coxa…é péssimo) e do jeito que vc é leve, deve ter sido um baita esforço se manter na moto! Imagino vc segurando no coitado do Erik hauhauha
    E sensacional o comentário do famoso movimento do café 🙂

    Curtir

    1. Não é uma sensação maravilhosa? Mas é claro que você ainda aproveitaria, como não?

      É bem assim como andar de cavalo mesmo, acertou.

      O Erik ficou bravo, a gente quase teve uma briguinha porque eu ficava me jogando para o lado errado e quase derrubei a moto, he.

      Curtir

  3. Hahahhahahahah to rindo dos eu comentário logo acima! E eu então? Co menos de 50 quilos…o que não aconteceria? Hahahha
    Amo demais andar de moto, é uma sensação indescritível. E tudo que é aventura também gosto. E sempre quis fazer este passeio que fizeram na neve, com as motos típicas. Mas deve dar muito um medo e tanto, claro…E nada de vc pilotar! Ainda bem que vc foi sensata o bastante para não ter feito isso!
    Adorei a fotinho de vcs dois na moto!
    E chorei de rir, mais uma vez, com seu comentário que na verdade, alguns casais caíam tanto das motos que só atrapalharam o safári. Hahahaha
    Entendo a enganação do passeio. É sempre assim, se eles colocarem outra atividade no meio, tenha certeza, é para enrolar com relação a principal. Mas deve ter caído bem o cafezinho…
    Senti pena, na última foto, ao ver as peles…
    E que frio!!!! As fotos até passam a impressão de intenso frio pra gente, de tanta neve, acredita?
    Adorei o passeio turístico que fizeram.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s