Louvre, Tuileries, Deus e o Diabo em Paris

Finalmente chega o último dia em Paris, domingo. Como escrevi antes, não tinha mais fotos destes passeios de sábado e domingo, mas não poderia deixar de registrar aqui duas coisas muito gostosas que fizemos nesse dia: piquenique no Jardin des Tuileries (“Jardim das Tulherias”) e admirar a Catedral de Notre-Dame.

Palais du Louvre

O Palácio do Louvre era o centro do poder na França até Luís XIV se mudar para Versailles.

O Palais du Louvre (Palácio do Louvre) é um antigo palácio Real da França, localizado em Paris, na margem direita do Sena. Fica entre os Jardins das Tulherias e a igreja de Saint-Germain l’Auxerrois. A suas origens remontam a quase um milénio atrás, sendo a sua história indissociável da de Paris. A sua estrutura tem evoluído por etapas desde o século XVI.

O Louvre, cujo nome derivou da palavra franca leovar ou leower, que significa lugar fortificado de acordo com o historiador francês Henri Sauval (16231676), foi a sede do poder na França até ao reinado de Luís XIV, quando este se mudou para o Château de Versailles, em 1682, levando a encenação governamental consigo; o Louvre permaneceu como a sede formal do governo até ao final do Ancien Régime.

O Palácio do Louvre acolhe, actualmente, o Museu do Louvre, um dos mais ricos e famosos museus de arte do mundo.

Fonte: Wikipedia

Comecei com o Louvre porque o Jardin des Tuileries, agora um parque público, era o jardim oficial do palácio. Antes de começarmos o piquenique, sentamos em uma mureta bem em frente ao palácio para olhar as pessoas e fumar um cigarrinho. Esse dia de domingo foi praticamente o primeiro de primavera. Um dia muito ensolarado, fazia 25 graus. O plano era passar grande parte do domingo dentro do Louvre. Sabem o que aconteceu? Desistimos! Eu sei, um absurdo, primeira vez em Paris e não entrar no Louvre, que heresia. Heresia maior, porém, é não aproveitar um dia de sol e calor quando se vive na Suécia. Foi muito tentador, tentador demais. As pessoas estavam felizes, com roupas de verão, parecia que a cidade renascia depois de dias escuros, chuvosos, de uma primavera atrasada. Assim, essa é a história do porquê de não ter visitado o Louvre por dentro. Por outro lado, este é mais um motivo para voltar para Paris, que fica bem perto daqui.

Ainda assim, só de ver a área, o palácio por fora, valeu tudo e muito mais. O Louvre é incrível, inesperadamente incrível. Esqueçam o triângulo, aquela coisa que não tem nada de mais. O fantástico é mesmo o palácio e outras construções à volta. É esplendoroso, magnífico, ainda mais com o sol brilhando. Não deixem de ver o Louvre, mesmo que apenas de fora, se forem a Paris.

LouvreLouvre. Fonte aqui.

Jardin des Tuileries

Como explicado acima, este jardim pertencia ao Palácio do Louvre. Foi criado por Catarina de Médici em 1564 e se tornou um parque público depois da Revolução Francesa.

Jardin-des-Tuileries-Carrousel-GardenFicamos aí, nessa área no canto direito. Fonte aqui.

O sol estava bem gostoso, e o gramado estava cheio de gente jovem descansando, conversando e, claro, fumando. Eu e Erik compramos 8.6 Red desta vez (lembram-se da cerveja que tomamos no dia anterior, sábado?), umas baguetes e recheios para o Erik, quiches vegetarianos para mim e uma garrafa de vinho. Nem posso dizer como foi gostoso. Aquela mistura de sol, calorzinho agradável, álcool, comida… Eu deitei em cima do Erik, para não manchar de verde as minhas roupas preferidas, e acabamos pegando no sono ao pôr-do-sol – por volta de 8 da noite.

Notre Dame

No mesmo dia, andamos mais ainda um bocado. Achamos um bairro muito chique, com boutiques que vendiam peças por muitos euros – um xale, 5 mil euros, não estou brincando, Ferraris etc. Depois disso, chegamos ao Sena novamente e caminhamos, já à noite bem escura, em direção à Catedral de Notre-Dame. Sei que vou parecer bem repetitiva, pois só escrevo que tudo era muito lindo, mas o que é essa catedral? É tão linda iluminada à noite, tão alta, com arquitetura tão maravilhosa… Imaginem, a catedral é toda cheia de figuras entalhadas e estátuas. É de uma riqueza de detalhes tão impressionante, que leva horas para entender tudo – na verdade, deve ser impossível compreender tudo o que está simbolizado nas figuras da fachada ocidental. Foi em frente à fachada ocidental que me sentei com o Erik. O governo francês teve uma ideia genial para comemorar os 850 anos da catedral em 2013. Entre outras ações, colocou uma arquibancada em frente à fachada ocidental; assim, as pessoas são “convidadas” a sentar e observar essa beleza de arquitetura e arte. Eu e Erik passamos um tempo sentados na arquibancada.

Eu gostei tanto da catedral (Católica Apostólica Romana) que me empolguei e peguei várias fotos da página francesa da Wikipedia:

800px-Notre-Dame_de_Paris-France

Eu a vi assim, de noite:451px-NotreDameDeParis-1

Fachada ocidental

Night-Chartres-Cathedral-France

Fonte aqui

Há três portões na fachada ocidental:

800px-Notre_Dame_Paris_front_facade_lowerDa esquerda para a direita: Portal da Virgem, Portal do Julgamento e Portal de Santa Ana

O Portal do Julgamento, ao meio, é o mais esplendoroso de todos:

452px-Notre_Dame_de_Paris_main_gate

Os homens na parte de cima formam a Galeria dos Reis, um conjunto de 28 estátuas, cada uma de 3,5m de altura. Segundo a Wikipedia, podem ser tanto personagens do Antigo Testamento, quando monarcas franceses. Essa galeria encerra o limite entre a parte inferior, com os três portões, e a intermediária.

Está todo mundo lá, no portão central. Abaixo, ao meio, Cristo como Julgador, mostrando as chagas nas mãos:

800px-Paryż_notre-dame_portal

Apóstolos:

800px-ND_portail_central_gauche

Tem também o demônio e o Arcanjo Miguel com a balança das almas, escolhendo quem se salva e quem vai queimar no fogo do inferno para todo o sempre. Estão medindo as almas.

800px-DevilCentralGateNotreDameParis

Tem o Beau Dieu, literalmente, Deus. Ele também está lá:

399px-Le_Beau_Dieu_Notre-Dame_de_Paris

Abraão também, recebendo os escolhidos:

329px-Portail_Notre-Dame_de_Paris_240208_1

Algo muito interessante também são as gárgulas de Notre-Dame.

Acredita-se que as gárgulas eram colocadas nas Catedrais Medievais para indicar que o demônio nunca dormia, exigindo a vigilância contínua das pessoas, mesmo nos locais sagrados.

Fonte: Wikipedia

Idade Média, que tempos mais leves, divertidos, não? Não basta ser constantemente relembrado que Jesus morreu por você e você é um pecador eterno; não, há também que se lembrar que o demônio está sempre à espreita.

Notre_dame-paris-view gárgula

360px-Chimera_Notre_Dame_Paris

Figuren_auf_Notre_Dame

Para ficar mais leve, vou colocar aqui o Heavy Metal do Senhor, canção de Zeca Baleiro. Encerro, aqui, essa visita deliciosa a Paris. Espero voltar logo, pois esta é mais uma cidade na minha lista de cidades onde eu gostaria de morar.

Anúncios

10 comentários sobre “Louvre, Tuileries, Deus e o Diabo em Paris

  1. Pingback: Viagens do passado, ou, de quando as agências de viagem tinham importância |

  2. O Louvre é o máximo. Como eu já disse, depois de visitá-lo, todos os outros museus são “meh” haha. A Notre Dame é linda demais, os detalhes são muito ricos.
    Beeeijos

    Curtir

  3. Acho que você tem realmente um bom motivo para voltar à Londres! Não podia mesmo desperdiçar o sol, já que é mais fácil ir para Paris do que ter muitos dias de sol assim na Suécia…hehehe. A Catedral é super imponente, adorei as descrições dos detalhes. Deu mesmo para sentir que vocês aproveitaram muito este passeio. Um beijão.

    Curtir

  4. Quero te dar meus infinitos parabéns, por conta de toda emoção e sensações que vc me trouxe com este post. Foi um dos que mais gostei. Que tão bem escrito, tão bem montado. Vc fez de maneira tão excelente, que dava a impressão de ser um filme, ou uma visita digital, realmente.
    E tenho uma música mais exata ainda para acompanhar este seu post, e que me fez ficar arrepiada, literalmente, diversas vezes. É Sadness do Enigma. Coloque-a, e reveja seu post.
    Fiquei encantada, me ative por cada detalhe, por cada exuberância, cada pedacinho do que consegui ver destes lindos monumentos… Sou fascinada por Paris, e sempre fui.
    Cada foto… Que lindo! Eu posso sim imaginar pq vc fica repetitiva falando da cidade, mas não é a toa, pois só de ver algumas fotos por aqui, já nos deixa maravilhados.

    Curtir

    1. Ai, Carol… eu dava tudo para te ver lendo o post. O seu comentário é mil vezes melhor que o post, pode ter certeza. Amei!
      É uma pena eu não ter fotos próprias para colocar aqui, tive que tirar todas da Wikipedia.
      Ri alto também com a sua sugestão de música, bem a sua cara. 🙂 Gosto muito como você faz questão de sepre mostrar que prestou atenção em todos os detalhes, que leu tudo, viu tudo, comentou tudo.

      Curtir

  5. Pingback: Uma visita à medieval Tallinn |

  6. Adorei este post em especial pois o lugar que eu mais gostaria de visitar em Paris é o Louvre.
    Adoro ler como vc agora da valor a coisas que para nós são banais, como uma tarde de sol. Q bom que vcs aproveitaram de uma forma majestosa, um piquenique em um lugar tão lindo!!

    Curtir

  7. Marluce Cruz

    Visitei o Louvre, Notre Dame, A Torre Eifell, Arco do Trinunfo, Praça da Concordia, Museu da Ópera, e o Palacio de Versales, não sei dizer qual o mais lindo, amei todos os lugares, Novembro de 2013.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s