Três coisas que fazem da Grécia um destino delicioso (e um pouco de Atenas)

Começa, neste post, a saga grega. Eu & Erik viajamos para a Grécia de 04 a 20 de julho, ou seja, acabamos de voltar para a Suécia. Estou tentando mudar o padrão de postar sobre viagens muito tempo depois de as ter feito. Vamos ver se consigo manter esse ritmo.

A viagem para a Grécia foi uma delícia. Houve três motivos para termos ido para lá, sendo o último muito especial:

1) Férias em um lugar ensolarado

2) Visitar minha querida Mirsini. Eu e Mirsini nos conhecemos no mestrado

3) Comemorar 05 anos que eu & Erik nos conhecemos e estamos juntos

Motivos válidos. Mas desde quando precisamos de razões para viajar, né?

Conhecemos vários lugares na Grécia: a capital Atenas, Filiatra – perto de Kalamata, onde os pais de Mirsini tem uma casa, Zakynthos e Antiparos – duas ilhas, cada uma em uma costa.

Eu simplesmente amei a Grécia. Três coisas fazem a Grécia ser muito boa (é claro que há sempre mais motivos):

1) As pessoas

Apesar do pouco tempo que passei por lá, percebi que os gregos são simplesmente muito simpáticos, atenciosos e prestativos. Desconhecidos fazem questão de ajudar se percebem que você está meio perdida. E fazem de tudo para ajudar mesmo, procuram endereços no smartphone, puxam pela memória, e conversam, conversam, conversam… É sempre uma oportunidade para falar um pouco. Falando em língua, nem todos falam Inglês, e os que falam parecem se sentir tímidos ao mesmo tempo que querem puxar conversa.

Mirsini, seus pais e o namorado Christos foram incríveis. Não estou escrevendo isto porque ela pode jogar tudo no Google Translate assim garantindo mil pontos para mim. Estou escrevendo isto porque é verdade mesmo. Eles foram muito hospitaleiros e acolhedores, mais ainda do que o necessário. Houve altas disputas para pagar as contas das tavernas, e Erik e eu ganhamos um litro e meio de azeite caseiro (maravilhoso) e azeitonas Kalamata dos pais de Mirsini. Eu e Erik basicamente quase não movemos um dedo para planejar a viagem lá.

2) O tempo

Este ano o inverno estava “ruim” na Grécia de acordo com Mirsini. Para ser justa, estava sim um pouco ventoso, mas o tempo estava excelente. Muito calor, céu azul e sol. O tempo é bem seco, então é necessário abusar da loção de pele e filtro solar. Fiquei bem bronzeada. As noites ficam frescas e agradáveis com céus estrelados.

3) A comida

Comida grega = feta

Essa equação não fecha para mim. Detesto queijo feta, aliás detesto qualquer queijo que não esteja amolecido. Mas queijos brancos, nem amolecidos. É o caso do feta. O pior é que a cozinha grega é cheia de pratos com esse queijo, e os turistas todos amam. Ou seja, muitos dos pratos disponíveis conterão feta. Dito isso, devo admitir que comida grega é uma delícia! Pedi muitos pratos sem feta, e deu certo na maioria das vezes. É claro que há vários outros sem esse queijo branco. Do que provei da cozinha grega, na maior parte das vezes em tavernas como a que mostrarei em seguida, ficou claro que é uma cozinha que abuso do azeite, e isso eu amo. Abusam mesmo, são litros em qualquer salada, fritura, molho… É uma cozinha mediterrânea, e geralmente os ingredientes são frescos. Come-se muito tomate, que são vermelhos e maduros, azeitonas, abobrinha, berinjela e outros legumes. As frutas são muito boas, claro, pois vêem o sol por muitos meses ao ano. Comi muitos pêssegos e nectarinas, e as cerejas são maravilhosas. Os gregos gostam muito também de salgados, todos folhados, mas o recheio não varia muito: é feta e espinafre ou algum outro tipo de queijo branco. Gregos também gostam muito de café, e bebem bastante uma versão de iced coffee com bastante espuma para espantar o calor.

Comi em muitos restaurantes, comer é sempre uma das melhores coisas em viagens. Como mais um exemplo do primeiro item, é comum ganhar itens gratuitos em restaurantes: entradas, aperitivos, sobremesas… É inacreditável. Água é sempre servida gratuitamente em qualquer bar/restaurante antes mesmo de se pedir algo. Este é um país para mim, hehe…

Cheguei em Atenas no dia 04, de manhã, e Mirsini nos pegou de carro. Eu e Erik nos hospedamos na casa dela e dormimos a tarde inteira, estávamos muito cansados.

À noite experimentamos a boa comida grega na Grécia pela primeira vez. Fomos a uma taverna em subúrbio de Atenas. O melhor de conhecer alguém é que eles(as) sempre sabem dos melhores lugares, e Mirsini fez questão que a gente conhecêsse o maior número possível.

IMG_0602Taverna grega em Atenas

As tavernas geralmente servem porções para serem divididas entre várias pessoas ao invés de pratos individuais ou para dois, o que deixa a refeição mais divertida, pois é possível experimentar de tudo. Gostei bastante dos bolinhos de abobrinha (Kolokithokeftédes), parecidos com os da minha mãe, fava, salada grega e outros.

IMG_0603Mirsini e eu

Uma coisa boa de experimentar: raki, a cachaça da Grécia, feita com bagaço de uva. Bem forte, cai bem com as comidas saborosas e cheias de azeite.

IMG_0607Raki

IMG_0608Sueco na Grécia

Mais tarde encontramos as amigas de infância de Mirsini. Fiquei muito contente de encontrá-las, pois conhecê-las significa conhecer um pouco mais de Mirsini. Eu e Mirsini nos conhecemos em um ambiente muito diferente de nossas origens, a Universidade de Lund no sul da Suécia, portanto é muito interessante ter a chance de conhecer a pessoa em seu ambiente original. As amigas dela foram super fofas.

De bar em bar, acabamos passando o resto da noite em um com vista panorâmica da capital. Muito bonito. A Acrópolis, que mostrarei em post futuro, está ao fundo. Essa é a área antiga da cidade, onde se localiza um bairro chamado Monastiraki, com sua praça e estação de metrô de mesmo nome. Nessa praça e ruas adjacentes fica um famoso flea market, mercado de rua. Infelizmente não tive tempo de garimpar o mercado. A construção bem ao centro da foto, com cúpula arredondada, é a Mesquita Tzistarakis, otomana. Ao lado estão ruínas da Biblioteca de Hadrian, que já no ano de 267 DC sofreu com uma invasão estrangeira. Quanta história.

Tirei tudo isso da Wikipedia. É lógico que pode haver erros, mas vale como um pano de fundo.

IMG_0610Monastiraki, Atenas

IMG_0645

IMG_0622

Anúncios

8 comentários sobre “Três coisas que fazem da Grécia um destino delicioso (e um pouco de Atenas)

  1. Pingback: Plaka e Anafiotika: aos pés da Grécia Antiga |

  2. Pingback: Subida à Acrópole |

  3. Como eu já tinha falado, tenho muita vontade de conhecer a Grécia. Estou vendo que esses posts vão aguçar ainda mais…rsrs. Você estava linda! Cortou o cabelo? Adorei o look! A Mirsini é muito simpática! Parabéns pelos 5 anos de relacionamento com o Erik! Parece ontem que você me contou que o conheceu. Fico muito feliz de ver como a união de vocês tem dado certo. Beijos!

    Curtir

    1. Que bom, assim você e o Wagner planejam umas ferias por lá também. 🙂
      Sim, cortei o cabelo e estou adorando. Estou tentando deixá-lo mais nattural, já faz tanto tempo que faço a escova progressiva… Quero ver como vai ficar agora. Por enquanto estou gostando muito.
      Beijão!

      Curtir

  4. Pingback: Chegada a Zakynthos |

  5. Pingback: Passeios de barco em Zakynthos I |

  6. Pingback: Sem-teto na Jamaica |

  7. Pingback: Dois restaurantes não tão bons em Kingston |

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s